9º POLENTAÇO e 7ª Festa do Agricultor é sucesso em Monte Belo do Sul

Celebrar a polenta. Esse é o principal objetivo do Polentaço. O evento ocorre em Monte Belo do Sul e não era realizado desde o ano de 2011. A nona edição reuniu mais de seis mil e quinhentas pessoas em três dias de festividades, de 19 a 21 de maio. Foram muitas as atrações. A abertura oficial da festa foi na sexta-feira e marcou, também, o início da programação do dia do vinho em todo o Rio Grande do Sul. Na noite da abertura, foi realizado o 4º Cantare in Monte Belo, onde dez corais de música ítalo brasileira se apresentaram.

No sábado, ocorreu o “Monte Belo em Duas Rodas”, um encontro de motociclistas que juntou cerca de 500 motos de passeio. Ainda nesse dia, aconteceu um dos momentos mais esperados: o tombo da polenta gigante de 800 quilos, que foi, posteriormente, distribuída aos visitantes acompanhada de molho e queijo ralado e, claro, da música “La Bella Polenta”.

No domingo, houve o campeonato de bochas, que contou com 20 equipes, sendo 12 masculinas e oito femininas, e também o segundo tombo da polenta gigante, totalizando mil e seiscentos quilos da matéria prima do evento. Além disso, realizou-se uma feira com 12 expositores que comercializaram produtos típicos da colonização italiana. E uma curiosidade que é a marca do evento também foi atração: a única exposição de esculturas de polenta do mundo. Nela, foram produzidas 29 peças feitas a base de polenta, que contavam com a mais pura criatividade da comunidade montebelense.

A gastronomia não poderia deixar de ser protagonista. No Café com Polenta, o público pôde se deliciar com pratos típicos italianos, numa vasta lista de opções. Haviam, também, food trucks espalhados pelo evento, com o diferencial de sempre terem, no mínimo, um prato a base da homenageada da festa. Diversos shows coroaram os dias de festividades, muitos deles com artistas locais, evidenciando os talentos oriundos de Monte Belo.

Para o presidente e um dos fundadores do Polentaço, Alvaro Manzoni, o sucesso do evento deve-se, principalmente, pela colaboração de uma grande equipe. “Eu fico feliz em poder colaborar para o desenvolvimento turístico/cultural de meu Município, principalmente porque estamos resgatando o que de mais puro tem em Monte Belo do Sul: a simplicidade aliada à vontade de preservar a memória”, afirma. Manzoni ainda agradece a todos que se dedicaram em favor do evento e que possuem a mesma linha de pensamento, afim de que a herança da imigração não se perca com o passar do tempo.

O alimento, que acompanhou os imigrantes italianos nos momentos mais difíceis, deu sustentação para as grandes famílias daquela época. Uma simples junção de água, sal e farinha de milho fez com que o prato se tornasse símbolo de uma cultura. E Monte Belo do Sul comemora o Polentaço agradecendo e homenageando a polenta com muito orgulho e satisfação.

 

Por Alessandro Manzoni

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Opinião pública

Comments for this post are closed.